Palestras: Táticas urbanas e apropriação do espaço público

For English see below

Palestras: Táticas  urbanas e apropriação do espaço público

Por uma São Paulo mais ciclável

data: 07/novembro   das 14h às 18h

local: EBAC, Rua Mourao Coelho, 1404  Vila Madalena – São Paulo

Inscrições gratuitas, aqui.

As redes sociais, o crescimento de dados urbanos e o surgimento da”internet das coisas” forneceram novas ferramentas para os cidadãos se organizarem em torno de questões urbanas, reivindicando seus direitos à cidade, levando a novas práticas colaborativas de citymaking.  Especialmente no Brasil, ao longo dos últimos anos, temos visto um forte movimento de grupos que passaram a se apropriar do espaço público – desde a ocupação física de praças e parques até os fóruns online de sites ativistas como Minha Sampa, Cidades para Pessoas, Outra Cidade, entre vários outros.

Um caso em questão é o movimento ciclista que  tem surgido em São Paulo  ao longo dos últimos anos. Enquanto a cidade tem investido em infra-estrutura de ciclovias, os entusiastas do ciclismo ven se organizando para fazer lobby para o fechamento de ruas aos domingos, bem como para colaborar e compartilhar informações e habilidades uns com os outros.

Na tarde do dia 7/11, palestrantes da Holanda e do Brasil vão explorar oportunidades para a organização dos cidadãos em torno de questões comuns. Na primeira sessão, os especialistas irão fornecer uma ampla gama de casos de ativação social através da mídia digital.  A segunda sessão incidirá sobre o movimento bike em São Paulo. Quais as oportunidades e desafios para o aumento do uso da bicicleta em São Paulo? Que estratégias podem ser empreendidas com sucesso? E o que podemos aprender com exemplos de movimentos ciclistas ao redor do mundo?

Parte 1

Mediação: Floor van Spaendonck

Martijn de Waal  – Urbanismo Hackeável, Tático, Responsivo, etc.

Gabriele Colombo – Simulando pesquisa de dados para ativações urbanas

Andre Leme Fleury  – IoT an smart cycling

Ricardo Correa – O que é um Plano Cicloviário?  Urbanismo mundo afora

Parte 2

Mediação: Gisela Domschke

Albert Pellegrini – A História do Ciclismo em São Paulo

Natalia Garcia – Por que pedalar em São Paulo é uma experiência revolucionária

Ana Carolina Nunes  – Mulheres Pedalando Agora

Maarten Woolthuis – Cyclespace, uma perspectiva internacional baseada em ação

Biografias

Parte 1 |

Floor van Spaendonck é Diretora de Relações Internacionais do Het Nieuwe Instituut,  uma instituição nacional que tem por missão ampliar a apreciação do público sobre o significado social da arquitetura, do design e da cultura digital, e promove o intercâmbio entre essas disciplinas na Holanda.

Martijn de Waal é pesquisador de Mídias Urbanas & Poder da Cidadania na Amsterdam University of Applied Sciences,  e autor do livro “ The City as Interface”. Em seu projeto de pesquisa atual “Cidade Hackeável”, Martijn explora as formas colaborativas de de transformação da cidade na sociedade em rede. É coordenador do projeto de pesquisa Round N Around no Citizen Data Lab,  Amsterdam University of Applied Sciences.

Gabriele Colombo  é designer e candidato a PhD em DensityDesign, um laboratório de pesquisa em Pollitecnico di Milano. Seus interesses de pesquisa incluem dados e visualização de informação, design de interface e os métodos digitais. No seu projeto de doutorado, ele explora estratégias do design para analisar a questão do conteúdo pictórico no contexto de mapeamento online.

Andre Leme Fleury  é doutor em Engenharia Industrial pela Universidade de São Paulo (2007) e University of Cambridge (2004-2005), e professor da Poli e da FAU – USP. Desenvolve pesquisas nas áreas de gestão de tecnologias e desenvolvimento de produtos, nos temas de technology roadmapping, design thinking, lean startup e serviços tecnológicos. Fleury é o coordenador do projeto de pesquisa Round N Around no Inovalab – USP.

Ricardo Correa é arquiteto e urbanista pela FAAP, é mestre em Planejamento Urbano e Regional na FAU USP, com MBA em Gestão Estratégica pela FEA USP e sócio-fundador da TcUrbes, única Empresa B certificada de planejamento urbano no Brasil, selo que certifica o impacto socioambiental.

Parte 2 |

Gisela Domschke é curadora e produtora cultural. Desde 2009 vem realizando projetos colaborativos nas áreas de cultura, design e inovação social. Possui o título de Master of Arts em Design pela Central Saint Martins College of Arts, University of London. É co-fundadora do Labmovel (Prix Ars Electronica 2013). Diretora da DOM Produção, co-organizadora do projeto Round N Around junto ao Het Nieuwe Instituut.

Albert Pellegrini é advogado, mestre em direito político e econômico,  psicanalista, foi editor da revista VO2,  é consultor de mobilidade pelo oGangorra, freelancer em matérias de ciclismo para VO2, Bicycling Brasil e GoOutside, realiza testes de bicicletas e produtos relacionados ao ciclismo, organiza treinos e eventos de ciclismo pelo Fuga Clube de Ciclismo. Começou a pedalar de forma esportiva em 1990 ao fazer seu primeiro short triathlon, vindo a introduzir a bicicleta como meio de transporte na sua vida em 2002.

Ana Carolina Nunes é ativista da mobilidade ativa em São Paulo. Formada em Jornalismo pela USP e mestranda em Políticas Públicas pela UFABC, é ativa na Cidadeapé e Ciclocidade, associações que defendem, respectivamente, os interesses de quem anda a pé e de bicicleta na capital paulista. Em setembro de 2015, coordenou com Daniel Guth a “Pesquisa sobre o Perfil de Quem Pedala em SP”, da ONG Transporte Ativo, em parceria com Ciclocidade e Observatório das Metrópoles da UFRJ. Também é conselheira do Conselho Municipal de Trânsito e Transportes e trabalha pela consolidação do programa Ruas Abertas.

Leticia Lindenberg Lemos é arquiteta urbanista pela FAU – USP. Possui especialização em Mobilidade Sustentável em Países em Desenvolvimento pela United Nations Institute for Training and Research. Pesquisa mobilidade sustentável com foco nos modos ativos, particularmente a bicicleta como meio de transporte urbano, e a regulação urbanística e políticas públicas urbanas que influem sobre esses modos. É pesquisadora do LabCidade na FAU USP e é Diretora de Pesquisa da Ciclocidade na gestão 2016-2017.

Maarten Woolthuis é apaixonado por encontrar alavancas e insights que aumentem o uso da bicicleta. Como um consultor em mudança de comportamento, Maarten lança programas que integram a bicicleta ao trabalho através do Toury – um jogo de ciclismo dentro das empresas, cidades e regiões. Como co-fundador da CycleSpace, Maarten cuida de delegações de serviços,, troca de conhecimento, programação, pesquisa, planejamento e administração, a fim de cumprir uma visão de liderança ciclista  em parceria com a cidade e a região metropolitana de Amsterdam.

ENGLISH

Urban Tactics and Appropriation of Public Space

Towards a Bikeable Sao Paulo

when: 7th November  from 2 p.m. to 6 p.m.

venue: EBAC, Rua Mourao Coelho, 1404  Vila Madalena – São Paulo

Free registration here.

Social media, the rise of urban data and the emergence of an ‘internet of things’ have provided citizens around the world with new tools to organize themselves around all kinds of urban issues, reclaiming their ‘rights to the city, leading to new collaborative practices of citymaking. Especially in Brazil over the last few years we have seen a strong movement of groups that have started to reclaim and appropriate public space, from the physical ‘occupation’ and reprogramming by citizens of the Largo da Batata to the online fora of activists congregating on website such as Minha Sampa, Cidades para Pessoas, Outra Cidade and others.

A case in point is the biking movement that over the last few years has emerged in Sao Paulo. While the city has invested in biking infrastructure such as cycle lanes, biking enthusiasts have organized themselves to lobby for the closing of roads on Sundays as well as to collaborate to share information and skills with each other.

At this half day conference speakers from The Netherlands and Brazil will explore opportunities for citizens to further organize themselves around communal issues. In the first session, experts will provide a wide range of examples for civic activation through digital media, from all around the world. The second session will focus on the Sao Paulo biking movement. What opportunities and challenges have emerged for the further propagation of biking in Sao Paulo? What strategies could be successfully applied? And what can we learn from examples coming from biking movements around the world?

Block 1

Mediation: Floor van Spaendonck

Martijn de Waal  – Hackable Tactical Responsive Etc Urbanism

Gabriele ColomboStaging data driven research for urban activation

Andre Leme Fleury  – IoT an smart cycling

Ricardo Correa – What is a cycling planning structure? Urbanism around the world

Block 2

mediation: Gisela Domschke

Albert Pellegrini – The History of Cycling in São Paulo

Leticia Lindenberg Lemos  – Cycling now, women on wheels

Natalia Garcia – Why cycling in São Paulo is a Revolutionary Experience

Maarten Woolthuis – Cyclespace, an international action based perspective

Biographies

Block 1 |

Floor van Spaendonck, Head of the Agency for Architecture, Design and Digital Culture at Het Nieuwe Instituut, Rotterdam.

Martijn de Waal is a researcher at the lectorate of Play & Civic Media at the Amsterdam University of Applied Sciences and author of the book “The City as Interface” . In his current research project The Hackable City he investigates acts of collaborative citymaking in the network society. De Waal is the research project coordinator of Round N Around at Data Citizen Lab – HvA.

Gabriele Colombo is a designer and PhD candidate at DensityDesign, a research lab of Politecnico di Milano. His research interests include data and information visualisation, interface design and digital methods. In his PhD project, he explores design strategies to analyze pictorial content in the context of issue mapping online.

Andre Leme Fleury holds a PhD in Industrial Engineering from University of São Paulo (2007) and University of Cambridge (2004-2005). He is a lecturer at Poli and FAU – USP. His research focuses in the areas of technology management and product development, technology roadmapping, design thinking, lean startup and technology services. Fleury is a cyclist and the research project coordinator of Round N Around at Inovalab – USP.

Ricardo Correa has graduated in Architecture and Urbanism at FAAP, and holds a Masters in City and Regional Planning from FAU- USP, with an MBA in Strategic Management from FEA USP. He is  founding partner of TcUrbes, only certified Company B in urban planning in Brazil, – stamp that certifies the environmental impact.

Block 2|

Gisela Domschke is a curator and cultural producer. Since 2009 she’s been developing collaborative projects in the areas of cultural, design and social innovation. She holds a MA in Design from Central Saint Martins College of Arts, University of London, and is the  co-founder of Labmovel (Prix Ars Electronica 2013).  She is the director of DOM Produção, co-organiser of Round N Around with Het Nieuwe Instituut.

Albert Pellegrini  is a lawyer, master in political rights and economic, psychoanalyst, was editor of VO2 magazine, is a mobility consultant at oGangorra, freelance on reports bout cycling for VO2, Bicycling Brasil and GoOutside , performs bicycle tests and products related to cycling, organizes training and cycling events at Fuga Clube de Ciclismo. He began cycling as sports in 1990, when he did his first short triathlon, the bicycle as a means of transport was introduced in his life in 2002.

Ana Carolina Nunes

Leticia Lindenberg Lemos is an urbanist architect from FAU – USP.  She has expertise in Sustainable Mobility in Developing Countries by the United Nations Institute for Training and Research. She researches  sustainable mobility with a focus on active modes, particularly the bicycle as a means of urban transport and the urban regulation and urban public policies that influence these modes. She is also a researcher of LabCidade at FAU – USP and is the Director of Research of Ciclocidade 2016-2017.

Maarten Woolthuis is passionate about finding key triggers and insights that lead to greater bicycle ridership. As a consultant in behavioral change, Maarten rolls out integrated Bike-to-work programs through Toury- the cycling game-within companies, cities and regions. As a co-founder of CycleSpace, Maarten  takes care of servicing delegations, knowledge exchange, programming, research, planning, and administration in order to deliver on a vision of cycling leadership as partners with the City and Metropolitan Region of Amsterdam.

logos

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s